Etapas do Desenvolvimento de Fala e Linguagem

especialidade-atraso-de-linguagem-300x225Quando se fala em desenvolvimento da linguagem, é comum uma preocupação dos pais sobre qual é a idade certa para as primeiras palavras. Alguns até sofrem por fazerem comparações entre os filhos em relação a outras crianças. Uma pergunta comum é se existe um período certo para o início das primeiras palavras.

      O desenvolvimento da fala  depende da associação dos seguintes fatores: integridade orgânica e as condições biológicas, as influências sociais, psicológicas e afetivas, e os sistemas neurológico, auditivo e motor. Se todos esses sistemas estiverem preservados, o desenvolvimento da fala se da normalmente.

                Entre 4 e 6 meses o bebê começa a emitir sons guturais como “grrrr” ou “errrr”. Dos 6 aos 8 meses alguns sons começam a ser balbuciados, além dos bebês começarem a imitar a entoação da voz das pessoas que convivem com eles. Com aproximadamente 11 meses a criança já consegue falar palavras simples do seu cotidiano, como ága, papa, mamã, papai. Já com um ano e oito meses a criança já é capaz de falar mais de 50 palavras e conhece exatamente o seu significado.

  • Como é o processo de aquisição da linguagem?

                A fala é a expressão verbal da linguagem e envolve a articulação dos sons para a produção de palavras.

                A linguagem se refere a todo o sistema de expressão e recepção da informação. Consiste em compreender e ser compreendido por meio da comunicação verbal, não verbal e escrita.

                A aquisição da linguagem é o processo pelo qual a criança aprende sua língua materna. Portanto se da desde o ventre materno quando a mãe conversa com o bebê, coloca músicas para ele ouvir, conta histórias.

                 Uma criança com dificuldades de linguagem pode pronunciar as palavras corretamente, mas não ser capaz de unir mais de duas palavras. Também pode ser difícil compreender a fala de uma outra criança, apesar dela utilizar palavras e frases para expressar suas ideias. É possível ainda encontrar uma terceira criança que fale corretamente, mas tenha dificuldades para seguir instruções.

  • O que os pais devem fazer para auxiliar a criança no desenvolvimento da linguagem?

                Para estimular a fala da criança os pais podem  conversar com ela no mesmo campo visual, ou seja, fazendo contato de olho; aproveitar situações do dia a dia para conversar com a criança e estimular o desenvolvimento do vocabulário ( expressivo – fala e receptivo – compreensão); ensinar o nome dos alimentos, dos animais, dos objetos, das partes do corpo e dos outros campos semânticos através de brincadeiras, histórias, conversas e músicas; cantar músicas em diversos momentos; ler histórias;  e utilizar linguagem simples durante o diálogo com ela.

                É importante estimular a criança a dizer o que ela quer pedir. No início do desenvolvimento da fala, a criança pode utilizar gestos dêiticos (apontar, mostrar e dar) acompanhados de verbalização. A criança aponta para a comida quando está com fome, para o copo quando está com sede. Nesse momento, os pais devem contextualizar o gesto verbalizando o seu significado, por exemplo: “você quer comer?”, “você está com sede?”.

                Deixar a criança repetir sempre o errado  não ajuda no seu processo de desenvolvimento, mas se os pais corrigem sempre a palavra errada, a criança pode ficar envergonhada e até irritada por ser constantemente corrigida  parar de falar. O ideal é repetir a palavra corretamente sem corrigir. Se a criança diz “acum” para água, os pais devem responder enfatizando a palavra correta “você quer beber água?”.

  • Quando o atraso na fala deve ser uma preocupação dos pais?
  1. Os pais devem ficar alertas e procurar ajuda de um fonoaudiólogo quando apresentar os seguintes comportamentos:
  2. O bebê não responde aos sons e que não vocaliza é motivo de inquietação.
  3. Quando entre os 12 e os 24 meses de idade: não utiliza gestos, como apontar ou saudar com as mãos aos 12 meses; prefere se comunicar através de gestos em vez de vocalizar aos 18 meses; apresenta problemas para imitar sons aos 18 meses.
  4. Quando aos 2 anos apresenta as seguintes características: só imita a fala ou as ações e não pronuncia palavras ou frases de forma espontânea; só emite alguns sons ou diz algumas palavras de forma repetitiva e não utiliza a linguagem oral para se comunicar além de suas necessidades imediatas; não consegue seguir instruções; dificuldade em compreender o que a criança diz maior que a esperada para a sua idade.

Caso o bebê ou a criança apresente um desenvolvimento muito distinto do esperado, o adequado é procurar um profissional para que seja realizada uma avaliação.

Após a avaliação, o Fonoaudiólogo irá  orientar  a família, iniciar o trabalho de reabilitação com a criança, fazer os encaminhamentos necessários e realizar a visita escolar, para orientação dos educadores quanto as estratégias de estimulação do desenvolvimento de fala e linguagem.

 

Fga Andressa Bueno